VIAGEM

PRAIA DO BONETE: A TRILHA

A Praia do Bonete é localizada no sul de Ilhabela, uma Comunidade Caiçara movida à energia solar e muitas crianças correndo pelas pequenas e poucas ruas sem preocupação.

Para acessar este lado da Ilha, é necessário fazer uma trilha de 12 km pelo Parque Estadual de Ilhabela (que inicia em Borrifos onde termina a estrada de asfalto) ou pegar um barco. Resolvemos ir pela trilha e pegar barquinho na volta já que teríamos somente o final da semana para aproveitar.

Saímos de São Paulo na tardezinha de sexta-feira, paramos para dormir em um hostel de São Sebastião (cidade vizinha de Ilhabela), e na manhã seguinte tomamos café e fomos rumo à balsa, e depois trilha.

A trilha pela Mata Atlântica é considerada fácil porque não tem como você se perder já que antigamente tentaram abrir um caminho para os carros passarem, e mesmo que não tenha dado muito certo, ela ficou bem demarcada e sinalizada para os pedestres. Porém, o desgaste físico é bastante intenso, já que você passará por inúmeras subidas, decidas, pedras e levará em torno de 4 a 6 horas para terminar, além do peso da mochila que estiver carregando.

Durante o percurso, usamos o aplicativo Nike Run, que nos ajudou acompanhar nosso ritmo, tempo, quanto tínhamos andando e o quanto faltava para chegar.

O que também nos ajudou muito nessas quase 6 horas, foram às três cachoeiras do caminho: Cachoeira da Laje, Areado e do Saquinho, onde pudemos tirar as mochilas das costas, nos refrescar um pouco e comer alguma fruta. Era revigorante relaxar os músculos sofridos naquela água geladinha. Já ficávamos animados quando o barulho da queda d’água ia se aproximando.

Depois de alguns tombos, risadas e um pouco de sofrimento, chegamos à praia bem cansados e sem energia, mas com uma sensação boa de dever cumprido. Era bem incrível olhar para as montanhas da praia e pensar que tínhamos percorrido tudo aquilo a pé – principalmente para nós que nunca tínhamos feito algo parecido antes.

Companheiros de trilha: Alex, do Dez Mil Horas e Thaís (do futuro canal “Mãe Selvagem” hahaha) que fez da primeira viagem do ano ainda mais legal, graças as histórias, risadas e playlist Sandy & Junior <3 Só gratidão!
 O QUE LEVAMOS:
Difícil missão de levar o mínimo possível já que a barraca e o colchão pesam muito. Então levamos três mudas de roupa cada um (enroladas pra não ocupar espaço), itens de higiene pessoal, chinelo, toalha, roupa pra banho, lanterna, protetor, repelente, câmera, água e frutas.

Nosso amigo também levou no mochilão dele alguns legumes (batata, abobrinha, cebola e batata doce) pra gente assar no camping.

O QUE COMEMOS:
Antes da trilha nós tomamos café da manhã e durante, comemos maçã, ameixa e trakinas! :))) e quando chegamos na metade do percurso, o gel Carb Up que dá energia durante exercícios físicos.

DIFICULDADES:
Carregar a mochila pesada sem dúvidas foi a maior dificuldade, principalmente nos momentos mais íngremes do percurso. Mas talvez se tivéssemos o condicionamento físico ruim de tempos atrás, não conseguiríamos. Como falamos aqui, nos últimos tempos estamos correndo e fazendo atividade física que para nós fez total diferença.

DICAS PARA QUEM FIZER A TRILHA:
Se alimentar bem, se hidratar, carregar repelente e se possível, um meião porque os borrachudos judiam, viu? Não fazer a trilha após ás 12h pra não correr o risco de escurecer e levar na mochila somente o necessário.

Facebook | Bloglovin |Pinterest | Instagram | Canal no Youtube

You Might Also Like

42 Comments

  • Reply
    K ARINE
    13 de janeiro de 2017 at 00:40

    nossa, fiz essa trilha 7 (!!!) anos atrás! com um grupo de 15 amigos totalmente despreparados HAHA (tem post de 2014 (acho) lá no blog contando todos os perrengues que passamos, foi tenso. mas enfim, a praia é mesmo maravilhosa e vale muito a pena, ver seu post e fotos me fez ficar com uma saudade absurda ❤

    • Reply
      Nosso Relicário
      13 de janeiro de 2017 at 16:01

      Que coincidência HAHAH
      Ainda vamos fazer o post falando sobre a praia bonitona!

      Beijo

  • Reply
    Selma Galeão
    13 de janeiro de 2017 at 09:52

    Nossa que show….parabéns….

  • Reply
    Claudia Hi
    13 de janeiro de 2017 at 11:23

    Há tempos que quero fazer uma trilha (longa assim, e não de 10 minutos rs) e essas fotos me deixaram com mais vontade ainda! ♥ Adorei as dicas de vocês! Continuem se aventurando e mostrando pra gente!

    • Reply
      Nosso Relicário
      13 de janeiro de 2017 at 16:12

      A paisagem é linda e compensa muito ♥
      Pode deixar que continuaremos compartilhando tudo por aqui!

      Beijo

  • Reply
    Aline Amorim
    13 de janeiro de 2017 at 12:08

    Que lugares lindos! Nem lembro a última vez que fiz uma trilha. Acho que hoje seria muito difícil com meu sedentarismo!
    Beijos

  • Reply
    Clara Rocha
    13 de janeiro de 2017 at 14:40

    Para falar que nunca fiz uma trilha, eu fiz uma do pão de açucar, na verdade marromenos hahahhahaa mas eu tenho vontade de fazer. Ilhabela parece ser um lugar lindo de morrer.

    • Reply
      Nosso Relicário
      13 de janeiro de 2017 at 16:17

      HAHAHA mas sempre tem uma vez pra se aventurar né?
      Ilhabela é mesmo linda <3

  • Reply
    Isabel Sant'Anna
    13 de janeiro de 2017 at 16:02

    Eu nunca faria trilha porque, definitivamente, não faz meu estilo mas, às vezes, como mo seu post me bate uma vontade de quem sabe, encarar uma porque as fotos do lugar são bonitas e eu amo observar a natureza. Gostei da dica do app Nike Run. É uma boa maneira de medir o rendimento em caminhadas longas, não é?

    http://belsantanna.com/

    • Reply
      Nosso Relicário
      13 de janeiro de 2017 at 16:16

      O Nike Run nos ajudou muito!! Principalmente a não ficar perdidos achando que tínhamos percorrido X km, e no fim faltar mais.
      Vale a pena fazer trilha pelo menos uma vez na vida pra ter essa experiência :))
      Beijo

  • Reply
    Adeeh Mello
    13 de janeiro de 2017 at 18:04

    Gente! Quanta foto lindaaaaaaaaaa, que lugar maravilhoso! Adorei cada foto, amei! ♥

    http://sorrisodevida.blogspot.com/

  • Reply
    Nosso Relicário
    13 de janeiro de 2017 at 18:58

    ♥♥

  • Reply
    Camila Faria
    13 de janeiro de 2017 at 21:35

    Nossa, que maravilhosos vocês! Arrasaram demais. <3
    Essa trilha parece ser linda ~ e mal posso esperar pelo post falando sobre a praia lindona no final!

    Não Me Mande Flores

  • Reply
    Grazi Lotti
    14 de janeiro de 2017 at 01:05

    Que demaisss! Eu aqui louca pra conhecer uma cachoeira e todo mundo que eu conheço indo em uma kkkkkk, fico mais ansiosa ainda ♥. Tbm quero muito ir à praia, faz anos que não vou e só fui umas duas vezes =/
    Lembrei de uma trilha que fiz pra subir no Pico do Jaraguá no 1º dia de 2015. Foi uma experiência ótima em geral xD!

  • Reply
    Wanila Goularte
    14 de janeiro de 2017 at 14:40

    Que legal! Não conheço essa praia e nem a trilha, mas parece ter sido super divertido. 🙂

    casaldasgerais.com.br

    • Reply
      Nosso Relicário
      16 de janeiro de 2017 at 16:06

      Foi bem divertido mesmo! Principalmente os tombos HAHAAHA

  • Reply
    Lorraine
    15 de janeiro de 2017 at 11:26

    12 quilometros. DOZE! Fico só imaginando se algum dia terei condicionamento suficiente para uma trilha assim. Tomara, porque a paisagem e as cachoeiras são lindas DEMAISS!!!

    Beeeijo

    • Reply
      Nosso Relicário
      16 de janeiro de 2017 at 16:08

      É uma experiência muito única, vale todo esforço. :))

  • Reply
    Juny (Juliana Almeida)
    15 de janeiro de 2017 at 13:26

    Valeu todo o esforço para enfrentar essa trilha!
    Tanto o caminho como o destino final parecem ser lindos!
    Ainda preciso de mais preparo fisico para enfrentar uma trilha dessas.
    E achei muita coincidência porque acho que no mesmo dia que você fez a trilha, tinha uma amiga minha fazendo também, talvez vocês tenham se cruzado por lá.

    • Reply
      Nosso Relicário
      16 de janeiro de 2017 at 16:09

      Que legal!! Provavelmente nos cruzamos com ela sim. Tinha uma galerinha boa neste dia fazendo a trilha também.

      Beijo

  • Reply
    Katarina Holanda
    15 de janeiro de 2017 at 15:21

    Que fotos mais lindaaas! ♥ Deve ser um trampo mesmo carregar barraca assim, eu nunca acampei, mas tenho curiosidade demais. Adorei a trilha e o post!

    • Reply
      admin
      16 de janeiro de 2017 at 16:10

      Siim, a maior dificuldade! Mas valeu e recomendamos muito.
      Obrigado Kat!

      Beijo

  • Reply
    .lívia.
    15 de janeiro de 2017 at 21:53

    que lugar mais lindo e que delicia de passeio, deve ter sido mt bom msm fazer essa trilha

    http://www.tofucolorido.com.br
    http://www.facebook.com/blogtofucolorido

  • Reply
    blog Mulher Casada Viaja
    15 de janeiro de 2017 at 23:21

    Nos anos 90 eu era louca pra fazer essa trilha! Ótimas dicas e adorei a sinceridade ao confessar as traquinas! ahaha

  • Reply
    Dai Castro
    15 de janeiro de 2017 at 23:55

    Acho incrível esse tipo de viagem, de realizar uma trilha até o fim e ter essa recompensas lindas pelo caminho, sem contar na sensação de dever cumprido como você mesmo destacou.
    Infelizmente, meus problemas na coluna e condicionamento físico péssimo atualmente me impede de embarcar nesse tipo de aventura. Espero esse ano poder ir revertendo essa situação aos pouquinhos 🙂
    Colorindo Nuvens

    • Reply
      Nosso Relicário
      16 de janeiro de 2017 at 16:13

      Com certeza aos poucos você vai revertendo isso, Dai
      Boa sorte!

  • Reply
    Michelli B.E.
    16 de janeiro de 2017 at 16:12

    Vocês dormiram lá, isso? Como foi? Voltaram no outro dia tranquilinho?
    Adoro trilhas e achei bacana essa =D

    • Reply
      Nosso Relicário
      16 de janeiro de 2017 at 16:19

      Nós dormimos lá e voltamos de barco no outro dia.
      Vamos contar mais no próximo vídeo ♥

    • Reply
      Nosso Relicário
      16 de janeiro de 2017 at 16:20

      post e vídeo*

  • Reply
    Taís
    17 de janeiro de 2017 at 21:02

    Que trilha mais maravilhosa!!! Não deve ter sido fácil mesmo ter que andar tudo isso, ainda mais com um mochilão pesado, parabéns pela conquista!
    Fiquei pensando nos borrachudos também, mas essa é com certeza uma trilha que amaria fazer lá por Ilhabela… amei ter lido sua experiência, Sté!
    beijo!

  • Reply
    Petit Andy.
    17 de janeiro de 2017 at 23:49

    Sté corajosa!
    Nossa, JAMAIS conseguiria fazer uma trilha dessas… estou fora de forma total, hahaha.
    Mas tenho que admitir que vou perder essa vista linda.

    Beijo! 😀
    Andréia Campos
    http://petitandy.com

  • Reply
    Lari Reis
    18 de janeiro de 2017 at 20:25

    Imagens lindas de uma experiência que parece ter sido muuuito bacana!
    Curti 🙂 E achei mara a dica do meião! Salva!

    Yellow Ever Shine

  • Reply
    Priscila Gonçalves
    19 de janeiro de 2017 at 18:50

    Tenho planos de conhecer a Ilhabela, espero q saia do papel logo XD apaixonei nas fotos, amo esse tipo de viagens, trilhas e cachoeiras, e ainda mais com a praia. O lance da mochila pesar eu sempre penso nisso, nunca acampei, mas nas minhas trilhas levo o mais leve possível, costumo sentir o peso mesmo da garrafa d'agua. Estava procurando um app legal para contar km, nao pensei no da Nike.
    Beijo grande flooooor

    http://cariocadointerior.com.br

  • Reply
    Paula
    20 de janeiro de 2017 at 14:47

    Eu já fui pra Ilhabela mas não é lugar pra mim. É lindo, mas eu sou alérgica a picada de insetos, então imagina como eu sofri! Hahahaha

  • Reply
    Cíntia de Melo
    21 de janeiro de 2017 at 11:44

    Qie demais Sté! Confesso que to aprendendo a mudar muito meus habitos, e to muito afim de começar a fazer trilhas hehe
    me chame na proxima <3

  • Reply
    Natália Souza
    23 de janeiro de 2017 at 06:41

    Que lugar lindo!
    Quero muito fazer trilha, mas vou começar por uma menor hahaha Que legal que vocês conseguiram andar por tanto tempo.

    Beijos!!

  • Reply
    BONETE: A PRAIA + VÍDEO – Nosso Relicário
    17 de fevereiro de 2017 at 12:11

    […] um pouco neste post como foi a experiência na trilha de 12 km até a Praia do Bonete, localizada no Sul de Ilhabela, e […]

  • Leave a Reply